A História da Peermusic

80 anos depois de contratar seu primeiro autor, a peermusic se orgulha de ser uma grande editora de música independente. Desde que foi inaugurada, sob a visão aguçada do lendário produtor musical Ralph S. Peer, a peermusic vem inovando constantemente, tornando-se a casa de alguns dos melhores e mais brilhantes talentos da música.

De uma empresa modesta, fundada há tantos anos, hoje apresenta um repertório diversificado, que vai do Pop, passando pelo Latino até ao Clássico, dentre outros estilos musicais contemporâneos. Funcionários trabalham em 32 escritórios, em 28 países ao redor do mundo. Para entender o quanto a empresa evoluiu, desde suas origens humildes até o alcance global que goza hoje, é necessário entender a história Peermusic.

1927 foi um verão quente em Bristol, Tennessee, quando Ralph S. Peer, um engenheiro da área de gravação e A & R, chegou na cidade para explorar o talento local, em nome da gravadora Victor. Alguns anos antes, ele não tinha apenas assistido as primeiras gravações de Mamie Smith de “Crazy Blues” e os posteriores Fats Waller e Hot Five de Louis Armstrong, mas também produziu a primeira gravação comercial bem sucedida com o “Fiddlin John” Carson. Durante as próximas duas semanas, ele gravou o que se tornou conhecido como Bristol Sessions, com Jimmie Rodgers, A Família Carter, os Stonemans e outros artistas. Estas sessões pioneiras são creditadas como o nascimento da moderna música country, fazendo com que Peer fosse conhecido como o “Pai da Música Country”, conquistando seu lugar no Country Music Hall of Fame.

E assim, em janeiro de 1928, a empresa que um dia seria a Peermusic, foi criada sob o nome de Southern Music Publishing Co. Inc. Peer não perdeu tempo e assinou canções como “Georgia On My Mind”, “Will the Circle Be Unbroken” e “You Are My Sunshine”. Além disso, sob um acordo com a Victor, Southern Music passou a controlar todo o material original gravado sob os direcionamentos de Peer. Ao mesmo tempo, Peer entrou em “joint ventures” com editoras internacionais, introduzindo o seu melhor material para o público dos Estados Unidos. Peer reconheceu o potencial de crescimento do mercado latino após uma viagem à Cidade do México em 1928, quando conheceu o compositor Agustin Lara. Ele trouxe essa rica cultura musical para o mundo quando a RCA-Victor procurou aumentar sua presença na América Latina através da assinatura com astros latinos como Lara, “o Poeta Musical” e Perez Prado, “o Rei do Mambo”. Estes compositores criaram e assinaram alguns hits latinos com a Peermusic, incluindo “Granada”, “Solamente Una Vez” e “Mambo # 5”. A tradição continuou a criar muitas lendas, incluindo Rafael Hernández, Benny Moré e Tito Puente e canções como “Perfidia”, “Besame Mucho “,” Brasil “e” Mas Que Nada”.

Enquanto a década de 1930 viu a Peermusic ampliando sua presença na América Latina, a empresa também foi abrindo escritórios em toda a Europa. Até o final da II Guerra Mundial, com a ajuda de Tom Ward, executivo da Peermusic em Londres, a empresa outrora incipiente tornou-se uma força em todo o mundo, trabalhando na aquisição e desenvolvimento de repertório local em toda a Europa, que desde então se tornaram clássicos na voz de artistas como Edith Piaf, Maurice Chevalier, Yves Montand, Henri Salvador, e Fred Bongusto.

Em 1948 Peermusic lançou sua divisão clássica e desde então, tornou-se uma das editoras mais respeitadas da música séria contemporânea do mundo, com autores como Charles Ives, David Diamond e Mikael Weinberg entre suas fileiras ilustres.

Na década de 1950, Peermusic voltou a investir em artistas norte-americanos. Neste ponto, eles estavam determinados a não apenas permanecer atual, mas olhar para a frente. Com este pensamento em mente, no alvorecer do rock ‘n’ roll, Peermusic assinou com ninguém menos que a lenda do rock Buddy Holly. Em pouco tempo, uma nova onda de rock e artistas pop, incluindo The Rolling Stones e Donovan, começaram suas carreiras em estúdios de Londres da Peermusic.

Ralph S. Peer faleceu em 19 de janeiro de 1960. Sua viúva, Monique, que sempre esteve profundamente envolvida na construção do catálogo Latino da empresa, continuou a guiar habilmente a empresa durante os próximos 20 anos.

Em 1980, a liderança passou para o filho dos Peer’s, Ralph Peer II. Desde que assumiu a companhia, Peermusic expandiu suas operações em nove novos territórios, incluindo três escritórios na Ásia-Pacífico. Em 1990, ele se referiu à Internet como “ferramenta do futuro” na comercialização de música e estabeleceu o site da empresa, peermusic.com. Ele abraçou ainda mais a Internet como uma ferramenta para a apreciação da música quando se tornou o diretor fundador da eMusic, uma das primeiras plataformas de venda de música online, em 1996. Em 1998, a Peermusic se tornou a primeira empresa internacional de música a distribuir ativamente gravações on-line através do digitalpressure.com.

Peermusic hoje continua a ter uma uma participação ativa na cena musical contemporânea, usando seu extenso alcance internacional, vasta experiência e reputação premiada para o benefício dos milhares de compositores que tem a honra de representar. Como nosso slogan proclama, nós somos verdadeiramente uma editora Global Independente.

A filial da maior Editora Independente de Música no Brasil celebra 60 anos solidificada no país, escrevendo sua história através de grandes obras que marcam gerações desde 1956.

Manoel Nenzinho Pinto está à frente da companhia há mais de 40 anos e editou aqui sucessos marcantes para a música popular brasileira como É O Amor, de Zezé Di Camargo e interpretada por Zezé Di Carmago e Luciano; Entre Tapas E Beijos, de Nilton Lamas e Antônio Bueno, eternizada nas vozes da dupla Leandro e Leonardo; Ilariê, de Cid Guerreiro, Dito e Ceinha; e Tindolelê, de Cid Guerreiro e Dito, sucessos na voz de Xuxa; Adoro Amar Você, de Peninha e Elias Muniz, conhecida na voz de Daniel; Sozinho, também de Peninha, interpretada por Caetano Veloso; dentre outros.

A Peermusic tem como filosofia conversar diretamente com os autores, sugerindo planos de carreira que sejam benéficos para todos. E vai além: sempre procura a parceria das gravadoras, dos produtores e empresários artísticos. “Sem eles, não conseguiríamos chegar onde estamos. Nesse ramo, é muito importante trabalhar em conjunto. Aprendi isso na época em que fui relações públicas aqui na Peer”, relata Manoel.

Focada em descobrir sucessos, como uma inspiração vitalícia que serve de força motriz do dia a dia da companhia, a Peermusic tem motivos para comemorar. A editora registra mais de cinquenta mil composições e mais de mil gravações que alcançaram sucesso. Nos últimos 40 anos, muitos autores contratados da Peermusic chegaram aos primeiros lugares em arrecadação e execução no Brasil, segundo dados do Ecad – entre eles Rick (Ex da dupla com Renner), Zezé Di Camargo (da dupla com Luciano), Elias Muniz, Peninha, Bruno (da dupla com Marrone) e Darci Rossi.

É com este altruísmo que a Peermusic Brasil segue conservando grandes autores e descobrindo novos sucessos dentro de um novo cenário musical.